5 dias na Semana Santa em Braga

Solicitar Reserva
De tudo o que existe em Portugal, Braga na Semana Santa é a mais impressionante e a mais importante manifestação cultural e Pascoal, esta celebração atrai muitos turistas à cidade. Os visitantes procurar essencialmente os monumentos e procissões noturnas que se caracterizam pelas centenas figuras onde se conjugam harmoniosamente os elementos da liturgia e da religiosidade popular, assim como antigas tradições.
Neste programa poderá visitar estes lugares e participar nas procissões da semana santa de Braga e também visitar os pontos de grande interesse turístico da região.
 
Programa de 5 dias na Semana Santa em Braga - 17 a 21 de Abril 2019

Dia 17 de Abril - Quarta Feria Santa - Visita ao Porto
08h30 - Saída do Hotel
Visitas com guia ao Centro Histórico do Porto (Património da UNESCO):
  • Catedral do Porto
  • Estação de São Bento (azulejos históricos)
  • Torre dos Clérigos
12h30 - Almoço completo (bebidas incluídas)
14h00 - Saída para Vila Nova de Gaia
14h30 - Cruzeiro das 6 pontes no Rio Douro
15h30 - Visita às caves do Vinho do Porto
17h00 - Regresso ao Hotel para descanso
19h30 - Jantar Completo (bebidas incluídas)
21h30 - Cortejo bíblico "Vosotros seréis mi pueblo" - Procissão da Burrinha
Este eloquente cortejo apresenta a pré-história do Mistério Pascal de Jesus que a Igreja celebra nos dias seguintes. Desde o chamamento de Abraão, passando pela era dos Patriarcas, pela escravidão no Egipto e gesta libertadora de Moisés (prefiguração de Cristo), até à infância de Jesus, incluindo a sua fuga para aquele país com José e Maria com o Menino montada numa burrinha, desfilam, em sucessão cronológica e em verdadeira catequese viva, profetas, reis, figuras eminentes, símbolos e quadros bíblicos do Antigo Testamento. No essencial, assim é figurada a Aliança de Deus com o seu povo ― «Vós sereis o meu povo» ― e prefigurada a Nova Aliança que será selada com o sangue de Cristo.

23h00 - Regresso ao Hotel


Dia 18 de Abril - Quinta-Feira Santa - Visita a Braga, uma capital religiosa em Portugal
09h00 - Saída do Hotel
09h30 - Visita guiada no Santuário do Bom Jesus em Braga
11h00 - Visita guiada no Centro Histórico de Braga
13h00 - Tempo Livre no Centro Histórico
14h00 - Almoço Completo (bebidas incluídas)
16h00 - Lava-Pés e Missa da Ceia do Senhor

A anteceder a Missa da Ceia do Senhor, o Arcebispo que preside lava os pésa doze pessoas que representam os doze Apóstolos. Assim se comemora o que fez Jesus e se atualiza a sua eloquente lição: «Antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que chegara a hora de passar deste mundo para o Pai, tendo amado os seus que estavam no mundo, levou até ao extremo este seu amor. […] Levantou-se da mesa, depôs as vestes e tomando uma toalha pô-la à cinta. Depois de lhes lavar os pés […], disse-lhes: ‘Compreendestes o que vos fiz? Vós chamais-me Mestre e Senhor e dizeis bem porque Eu o sou. Ora, se Eu, sendo Mestre e Senhor, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns aos outros. Dei-vos o exemplo, para que, assim como Eu fiz, vós façais também’» (Jo 13, 1-15).

 

Terminado este rito, segue-se a Missa da Ceia do Senhor. É uma celebração dominada pelo sentimento do amor de Cristo que, na véspera da sua Paixão, enquanto comia a Ceia com os discípulos, instituiu o Sacrifício-Sacramento da Eucaristia, como memorial da sua Morte e Ressurreição a celebrar, tornando-o sempre actual, no decurso dos tempos.

19h30 - Jantar Completo (bebidas incluídas)
22h00 - Procissão do Senhor "Ecce Homo"
 

Organizada desde tempos antigos pela Irmandade da Misericórdia, esta procissão evoca o julgamento de Jesus, ao mesmo tempo que celebra a misericórdia por Ele ensinada. Abre o cortejo o exótico grupo dos farricocos com grosseiras vestes de penitência, descalços e encapuçados, de cordas à cinta, como outrora os penitentes públicos, uns empunhando matracas e outros alçando fogaréus (taças com pinhas a arder). Daí chamar-se também «Procissão dos Fogaréus». Integrados na procissão, os fogaréus evocam os guardas que, munidos de archotes, foram, de noite, prender Jesus.

 

A imagem do Senhor «Ecce Homo» (ou «Senhor da cana verde») representa o Cristo que se declarara rei e que o governador romano pôs a ridículo pondo-lhe na mão um simulacro de ceptro (uma cana verde). Foi assim que Pilatos o apresentou à multidão, dizendo: ― «Eis aí o Homem!».

00h00 - Regresso ao Hotel


Dia 19 de Abril - Sexta-Feira Santa - Visita a Guimarães
08h30 - Saída para Guimarães
09h00 - Visita ao Santuário da Penha
10h00 - Visita ao Centro Histórico de Guimarães (Património da UNESCO):

  • Castelo de Guimarães
  • Visita a pé na Cidade Medieval
  • Degustação do doce tradicional de Guimarães
12h30 - Regresso a Braga
13h00 - Almoço Completo (bebidas incluídas)
15h00 - Celebração da Morte do Senhor na Sé de Braga

À mesma hora em que Cristo expirou, os cristãos celebram o mistério da sua Morte redentora. Não há Missa, como Seu memorial, mas comemoração directa, integrando a sequência dos actos seguintes:

 

1ª Parte
Liturgia da Palavra

 

2ª Parte
Oração universal

 

3ª Parte
Adoração da Cruz

 

4ª Parte
Comunhão eucarística
 

Segue-se o canto de Vésperas e em seguida a Procissão Teofórica do Enterro. Costume trazido de Jerusalém pelo Convento de Vilar de Frades, no séc. XV ou XVI, daí passou a muitas catedrais. Abolido no séc. XVII, manteve-se na catedral bracarense (segundo o apelidado Rito Bracarense). Nesta impressionante procissão, o Santíssimo Sacramento, encerrado num esquife coberto de um manto preto, é levado pelas naves da Catedral — daí o nome de procissão teofórica (que transporta Deus) — e deposto em lugar próprio para a veneração dos fiéis. Os acompanhantes cobrem o rosto em sinal de luto. Dois meninos ou duas senhoras, alternando com responsórios do coro, cantam em latim e em tom de comovido lamento: «Heu! Heu! Domine! Heu! Heu! Salvator noster!» (Ai! Ai! Meu Senhor! Ai! Ai! Salvador nosso!).


17h00 - Regresso ao Hotel para descanso
19h30 - Saída para Jantar em Braga
22h00 - Procissão do Enterro do Senhor

Organizada pelo Cabido da Catedral, Irmandades da Misericórdia e de Santa Cruz e Comissão da Semana Santa, esta imponente procissão ― de todas a mais solene e comovente ― leva pelas ruas da Cidade o esquife do Senhor morto. É precedido por um andor com a cruz despida e seguido pelo da Senhora das Dores. Acompanham-no aquelas e outras irmandades, cavaleiros das Ordens Soberana de Malta e do Santo Sepulcro de Jerusalém, Capitulares da Sé, corporações diversas e autoridades. Em sinal de luto, os Capitulares e os membros das Confrarias vão de cabeça coberta. Para mostrar a sua dor, as figuras alegóricas ostentam um véu de luto. As matracas dos farricocos vão silenciosas. As bandeiras e estandartes, com tarja de luto, arrastam-se pelo chão.


23h30 - Regresso ao Hotel


Dia 20 de Abril - Sábado Santa - Visita ao Santuário do São Bento da Porta Aberta e o Parque Nacional Peneda Gerês
08h30 - Saída para o Santuário do São Bento
09h30 - Missa na Cripta do São Bento
11h30 - Visita ao Museu do Parque Nacional
13h00 - Almoço Completo (bebidas incluídas)
14h30 - Tour pelo Parque Nacional, com paragens em cascatas e miradouros.
15h30 - Visita às Termas do Gerês
16h30 - Regresso ao Hotel
19h00 - Saída do Hotel para Jantar Completo
21h00 - Vigília Pascal na Catedral de Braga

Para a Vigília Pascal convergem todas as celebrações da Semana Santa e mesmo de todo o Ano Litúrgico. Lembrando a grande noite de vigília do povo hebreu no Egipto, aguardando a hora da libertação (Ex 12), nela celebram os cristãos a sua própria redenção pelo mistério da Ressurreição de Cristo. Por ela se realiza a grande Páscoa ou Passagem da morte para a vida ou do estado de perdição para o estado de salvação. É a vitória final de Deus, em Cristo, sobre o pecado, o mal e a própria morte. No plano espiritual, os cristãos apropriam-se da graça desta passagem pelo Batismo. Por isso, a liturgia batismal tem aqui um lugar de destaque.

 

A Vigília Pascal — chamada por Santo Agostinho «a mãe de todas as Vigílias» — é uma soleníssima celebração, muito rica de simbolismo global e de símbolos particulares: as trevas, a luz, a água, o círio pascal, a cor alegre dos paramentos, a explosão de som e luz.

 

Integra quatro partes e conclui com a Procissão da Ressurreição.

 

1.ª Parte
Liturgia da Luz

 

2.ª Parte
Liturgia da Palavra
 

3.ª Parte
Liturgia Batismal

 

4.ª Parte
Liturgia Eucarística.
Organiza-se a Procissão da Ressurreição, própria do Rito Bracarense, pelas naves da Catedral. De novo no altar-mor, Cristo vivo na Hóstia branca abençoa todos os fiéis, que dele se despedem ouvindo e cantando o Regina Coeli, laetare (Rainha dos Céus, alegrai-vos), em modo de parabéns àquela que de Senhora das Dores se transformou em Senhora da Alegria.

22h30 - Regresso ao Hotel


Dia 21 de Abril - Domingo de Páscoa
10h30 - Saída do Hotel para o Centro Histórico de Braga
11h30 -. Missa Solene de Páscoa
13h00 - Saída para o Santuário do Bom Jesus do Monte
13h30 - Almoço no Bom Jesus
15h30 - Chegada do Compasso Pascal ao Bom Jesus do Monte
17h00 - Visita à Basílica do Sameiro

Noite Livre.

 

Preços

 
 
Semana Santa de Braga 2019 - Programa de 5 dias de 17 a 21 de Abril 2019 (Grupo Privado)
 
  1pax 2pax 3pax 4pax 5pax 6pax 7pax 8pax
Total (por pessoa) 1695€ 945€ 695€ 570€ 495€ 445€ 410€ 385€


Incluído nos 5 dias:
  • Transporte privado em van de 9 lugares.
  • Guia certificado em visitas guiadas.
  • Entradas e visitas guiadas a monumentos mencionados no programa
  • Almoços e Jantares - Gastronomia tradicional com bebidas incluídas
  • Impostos e Seguros.

Opção:
  • É possível adaptar este programa ao seu gosto. Contacte-nos para mais informações.

Mais informações: 917 919 831

 

Informação adicional

Local de início da atividade:
Braga
Solicitar Reserva

Rota

  1. Braga